sábado, 25 de fevereiro de 2012

Intervalos de massas atômicas


A massa atômica é um a característica especifica de cada elemento químico. Quando citamos que um determinado sistema tem o elemento químico oxigênio, muitos pensam na existência de átomos exatamente iguais, ou seja, com exatamente a mesma quantidade de partículas elementares. O mesmo número de prótons e nêutrons. Partículas responsáveis pela maior parte da massa do átomo.
 No entanto, por exemplo, os átomos do elemento químico oxigênio apresentarão pequenas diferenças em relação às massas atômicas. Por exemplo, temos o isótopo de Oxigênio 16 cuja massa corresponde a 15, 994 u; Oxigênio 17 cuja massa corresponde a 16,990 u e Oxigênio 18 cuja massa corresponde a 17, 990 u. Isso acontece devido à existência de isótopos, os quais são substâncias de mesmo número atômico e diferentes números de massa.
Então, como é calculada a massa de um elemento químico?
A massa de um elemento químico é calculada considera para a sua determinação a massa atômica e a proporção dos seus diversos isótopos na natureza através de uma média atômica ponderada. Veja o exemplo abaixo:

Elemento
Átomos constituintes
Massa atômica
Participação
Urânio
Urânio 234
234,11
0,008%
Urânio 235
235,11
0,700%
Urânio 238
238,13
99,292%
Tabela 1: SARDELA e MATEUS. Curso de Química: Química Geral, 1992.

Massa atômica do Urânio = 234,11 x 0,008% + 235,11 x 0,700% + 238,11 x 99,292% =
100

Massa atômica do Urânio = 238,10 u

Dessa forma, temos a determinação das massas atômicas dos elementos químicos.
As massas atômicas sempre foram sujeitas a poucas mudanças. Porém algumas reviravoltas acontecem. Alguns elementos químicos não apresentam mais um valor único de massa atômica, mas apresentam um intervalo de massas atômicas. Isso se deve ao fator variabilidade da composição isotópica de acordo com amostra. Por isso, os seguintes elementos químicos terão um intervalo de massas atômicas: Hidrogênio (H), Lítio (Li), Boro (B), Carbono (C), Nitrogênio (N), Enxofre (S), Cloro (Cl) e Tálio (Tl).
A preocupação não será tão grande para os alunos do ensino médio de Química porque não teremos mudança na forma de condução dos cálculos químicos. As mudanças serão mais sentidas nos laboratórios de pesquisa, os quais precisam de dados com elevado grau de precisão. Para atender tais necessidades serão necessárias a execução de experimentos para a determinação da massa atômica da amostra.

Referências:
ROCHA-FILHO, Romeu C. CHAGAS, Aécio Pereira. Os Pesos Atômicos Deixam de Ser Constantes: Dez Elementos Passam a Ter Intervalos de Pesos Atômicos. Química Nova na Escola, v.3 n.04, p. 211-215, 2011. Disponível em: < http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_4/211-AQ-9011.pdf>. Acesso em: 25/02/2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário